Domingo, Junho 23Portal Comunica News

Relatório da FIFA: River Plate é o clube da CONMEBOL que mais receberá dinheiro por empréstimo de jogadores para a Copa

No total, serão distribuídos 209 milhões de dólares, e o River Plate se destaca consideravelmente dos demais clubes argentinos, incluindo o Boca Juniors.

River Plate, Flamengo e Nacional, do Uruguai, rival do Boca na Copa Libertadores, são os três clubes sul-americanos que mais receberão dinheiro por empréstimo de jogadores para a Copa do Mundo do Catar, graças ao Programa de Auxílio a Clubes da Fifa, que distribuirá um total de US$ 209 milhões dos lucros do torneio.

O River Plate lidera a lista dos 10 melhores, recebendo um total de US$ 1.204.547, seguido pelo Flamengo, que deve receber US$ 883.355, e o Nacional, com uma soma de US$ 401.515, completando o pódio dos clubes da Conmebol que recebem mais dinheiro por emprestar seus jogadores de futebol para a Copa do Mundo.

Argentina e Brasil têm três clubes cada entre os dez melhores da região sul-americana, enquanto Uruguai tem dois, e Equador e Colômbia têm um cada.

O quarto lugar no top 10 é ocupado pelo Palmeiras, com receita de R$ 401.515; em quinto está o Vélez Sarsfield, com US$ 365.014; em sexto está o Independiente del Valle, com valor total de US$ 356.801; em sétimo está São Paulo, com R$ 309.349; oitavo está Milionários (US$ 208.058); O nono é o Independiente (US$ 207.757) e o décimo é o Peñarol (US$ 207.757).

No entanto, todos esses números empalidecem em comparação com os dez principais clubes do mundo. O top 10 mundial é dominado por equipes europeias, com o Manchester City, da Inglaterra, liderando o grupo, acumulando US$ 4.596.440, seguido por Barcelona (US$ 4.538.955) e Bayern de Munique, fechando o pódio com US$ 4.331.809.

O Real Madrid ocupa o quarto lugar da lista, com US$ 3.836.302, seguido por Paris Saint-Germain (US$ 3.835.389), Ajax (US$ 3.495.013) em sexto lugar, Manchester United (US$ 3.326.194) em sétimo, Chelsea (US$ 3.255.016) em oitavo, Atlético de Madrid (US$ 3.232.203) em nono e Juventus (US$ 3.048.783) em décimo.

A primeira equipe não europeia da lista é o Al Sadd, do Catar, em décimo segundo lugar, tendo faturado US$ 2.817.911. Apenas o total de US$ 2.831.599 do Tottenham impede que o clube do Catar esteja entre os dez melhores clubes do mundo em termos de dinheiro ganho com o empréstimo de jogadores para a Copa do Mundo.

O Programa de Ajuda aos Clubes da Fifa faz parte do acordo assinado entre a Fifa, presidida por Gianni Infantino, e a Associação Europeia de Clubes (ECA), que foi prorrogado até 2030 na Assembleia Geral da ECA realizada em Budapeste, na Hungria, em março passado.

Entre os 440 clubes que recebem uma parte dos fundos da Copa do Mundo, vários jogam em divisões inferiores, incluindo 78 clubes da Segunda Divisão, 13 da Terceira Divisão, 5 da Quarta Divisão e um time da Quinta Divisão.

A Fifa distribuirá um total de US$ 209 milhões para emprestar 837 jogadores, a uma taxa de US$ 10.950 por dia para cada jogador, independentemente do número de minutos jogados durante o torneio. O valor total por jogador é dividido e distribuído entre os clubes em que foram inscritos nos dois anos anteriores à fase final da competição. Esses valores serão distribuídos pelas federações membros às quais os clubes beneficiários pertencem, de acordo com o procedimento habitual da Fifa.

Dessa forma, o River Plate receberá US$ 1.204.547 pela presença de Franco Armani na seleção argentina, além de Gonzalo Montiel, Enzo Fernández e Julián Álvarez, que já jogavam na Europa na época da competição no Oriente Médio. Outro jogador do River Plate na lista é Nicolás de la Cruz, que não conseguiu passar da fase de grupos com o Uruguai.

O segundo time argentino na lista é o Vélez, que deve receber US$ 365.014 principalmente por Thiago Almada, que se transferiu para o Atlanta United poucos meses antes da Copa do Mundo, além do uruguaio Diego Godín e do goleiro equatoriano Alexander Domínguez.

O Independiente, clube que precisa de recursos extras, vai ganhar US$ 200.757 graças à convocação do uruguaio Sebastián Sosa, que realizou o sonho de disputar a Copa do Mundo e deixou um prêmio para o time de Avellaneda.

A lista é completada por Talleres, com US$ 124.104 (incluindo os equatorianos Piero Hincapié e Alan Franco), Defensa y Justicia, com US$ 98.553 (Enzo Fernández), e Newell’s, com US$ 93.078 (equatoriano Djorkaeff Reasco).

O Boca, sétimo “beneficiário” do programa da Fifa, receberá apenas US$ 32.851 pelo breve período de Alexis McAllister no clube antes de ir para o futebol inglês. Faltou um golpe de sorte ao Boca, é verdade.

Embora não haja jogadores argentinos com grandes chances de entrar na lista de Scaloni (o mais próximo foi o goleiro Agustín Rossi), alguns de seus jogadores estrangeiros tiveram dificuldades nas Eliminatórias Sul-Americanas. Luis Advíncula e Carlos Zambrano, do Peru, chegaram perto de chegar à Copa do Mundo, mas ficaram aquém na disputa de pênaltis contra a Austrália. Enquanto isso, Frank Fabra e Oscar Romero tiveram um desempenho decepcionante com Colômbia e Paraguai, respectivamente.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *