Terça-feira, Junho 25Portal Comunica News

SP registra nascimento de espécie rara de sagui-da-serra-escuro

Primata precisou ser submetida a uma cesárea; ameaçados de extinção, animais são exclusivos da Mata Atlântica

Raros filhotes do Sagui-da-serra-escuro, conhecido popularmente como sagui-caveirinha, espécie de primata da família Callitrichida ameaçada de extinção, nasceram no Núcleo de Conservação da Fauna Silvestre (CECFAU), de Araçoiaba da Serra, na região metropolitana de Sorocaba. Os mais novos integrantes da unidade nasceram no final de março e são facilmente identificados por apresentar a face branca, que lembra um pequeno crânio, em contraste com o pelo e o corpo todo preto.

O nascimento foi especial e diferente dos anteriores, já que a primata gestante precisou ser submetida a uma cesárea, além de ser a primeira vez que os filhotes do casal de saguis que vivem no núcleo nasceram vivos. Nas tentativas anteriores, a fêmea teve dificuldade e os bebês não sobreviveram.

Com um habitat restrito à Mata Atlântica da região Sudeste, principalmente em áreas florestadas nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, os saguis vivem em grupos, em média, de dois a 11 indivíduos. Por seu alto consumo de frutos, a espécie tem um papel fundamental na dispersão de sementes nas áreas onde vive.

Espécie endêmica da Mata Atlântica, a perda da cobertura original e a fragmentação do habitat natural estão entre as principais ameaças aos sagui-da-serra-escuro. Outra ameaça relevante é a competição por recursos e o risco de hibridização (mistura entre as diferentes espécies), podendo resultar no apagamento genético.

O cenário atual colocou o sagui-da-serra-escuro como “em perigo de extinção” (EN) na última atualização da Lista Oficial das Espécies Ameaçadas de Extinção do Ministério do Meio Ambiente (2022).

“O nascimento desses últimos filhotes é muito importante para a manutenção da espécie sob cuidados humanos, pois eles irão contribuir com a diversidade genética da espécie e com uma população “reserva”, cujo número de indivíduos ainda precisa aumentar.

Estes filhotes são o resultado dos esforços do Núcleo de Conservação de Fauna Silvestre do estado de São Paulo, que tem como objetivo reproduzir espécies nativas ameaçadas de extinção para contribuir com ações de conservação”, afirma Giannina Piatto Clerici, assessora técnica do CECFAU.

Sobre o Núcleo de Conservação da Fauna Silvestre

O Núcleo de Conservação da Fauna Silvestre (CECFAU), localizado em Araçoiaba da Serra, conta com uma área de 80 mil m², onde desenvolve pesquisas e realiza o manejo de fauna silvestre ameaçada de extinção. Atualmente, o CECFAU direciona suas atividades para as seguintes espécies: sagui-da-serra-escuro, mico-leão-preto (Leontopithecus chrysopygus), mico-leão-de-cara-dourada (Leontopithecus chrysomelas), arara-azul-de-lear (Anodorhynchus leari), tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla) e a perereca-pintada-do-rio-pomba (Nyctimantis pomba).

Inaugurado em 2015, o CECFAU busca avançar e se consolidar nas atividades de conservação de espécies ameaçadas, realizando investimentos em programas integrados e pesquisas aplicadas. A maior perspectiva é seguir contribuindo no combate à extinção das espécies da fauna brasileira. O grupo compõe o Centro de Conservação Integrada da Fauna Silvestre da Coordenadoria de Fauna Silvestre (CFS) da Secretaria de Meio Ambiente, Infraestrutura e Logística (SEMIL).

Fonte: Secretaria de Comunicação do Estado de São Paulo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *