Quinta-feira, Junho 13Portal Comunica News

Recorde de brasileiros no swing: rede social de sexo registra marca histórica de casais e pessoas solteiras interessadas em troca de casal

Sexlog Rede social se consagra como maior e mais importante site de swing e encontros casuais na América Latina com mais de 18 milhões de cadastros

O sexo liberal, apesar de ainda cercado por tabus, é entre quatro paredes e online, um dos assuntos que mais desperta o interesse do brasileiro. Prova disso são os 18 milhões de cadastros que o Sexlog, rede social adulta de sexo e swing, alcançou em 2022. Criada há mais de dez anos, essa é uma empresa brasileira que se compromete a ser um local seguro para que pessoas adeptas da prática possam se encontrar e expressar seus desejos de maneira discreta. 

Para a sócia-diretora e CMO da empresa, Mayumi Sato, a comunidade do Sexlog representa um novo momento na sociedade liberal. “Com mais de 18 milhões de pessoas, o Sexlog é um microcosmos,  um pequeno retrato do que acontece na sociedade. Ao longo dos anos, percebemos que as pessoas têm se sentido mais confiantes para buscar alternativas saudáveis para realizar suas fantasias, e é isso que oferecemos: um espaço livre de julgamentos, com segurança e respeito para os seus momentos de prazer”. 

Mais do que um site de swing ou de encontros casuais, o Sexlog também é uma plataforma para quem quer ver e ser visto. No último ano, foram compartilhadas mais de 2,9 milhões de fotos e 288 mil vídeos (30% a mais em relação ao período anterior). 

As lives realizadas na plataforma, bem diferentes das redes sociais tradicionais, já que por lá os conteúdos mais picantes são liberados, cresceram 26% em 2022, ou seja, foram mais de dois milhões de transmissões ao vivo. 

Mayumi explica que o sucesso das lives é decorrente de dois fetiches muito presentes na plataforma e que formam o match perfeito: as pessoas exibicionistas e aquelas que são voyeur. “Se por um lado quem é exibicionista se excita ao ser observado e desejado, por outro, o voyeur é aquele que só quer assistir, sem tocar ou participar. No Sexlog, unimos esses dois públicos em nossas lives e todos saem satisfeitos!” explica.

Sexlogers everywhere

A vasta presença do Sexlog no País faz com que a plataforma seja a principal ferramenta para quem procura por encontros casuais ou casais adeptos ao swing. Entre todos os estados, São Paulo foi o que mais teve novos inscritos em 2022, representando 20,58% de todos os cadastros do ano. 

Um pouco mais ao sul do mapa, os estados do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina se destacam, totalizando mais de 280 mil novos usuários. Já na região Norte, o Pará foi o estado que teve maior crescimento comparado ao ano anterior, 3,96%, ou seja, são quase 48 mil novos Sexlogers paraenses.

Os fetiches dos brasileiros

Com tanta gente em tanto lugar, o que não falta é diversidade no Sexlog, em todos os sentidos da palavra. Na rede social de sexo liberal mais completa da América Latina, os usuários têm acesso não só aos milhões de fotos e vídeos citados anteriormente. Por lá, é possível determinar a busca de acordo com seus fetiches e desejos.

Em 2022, o fetiche mais procurado foi “sexo anal”, com mais de 1,1 milhão de buscas. Já a procura pelo termo cuckold, conhecido também como fetiche do corno,  chegou a mais de 830 mil, um crescimento de 8% em relação ao ano anterior.

Termos como “dotado”, “dupla penetração” e “orgia” somaram mais de 2,2 milhões de buscas dentro do site. Já o termo “sexo virtual” foi procurado por mais de  500 mil pessoas. 

Entre outros termos mais buscados na plataforma, estão: “voyeurismo”, “beijo grego”, “dominação”, “submissão”, “inversão”, “BBW – Big Beautiful Woman”, “dogging”, “fisting”, “sexting”, “podolatria”. 

 

Uma verdadeira comunidade

Em mais de uma década, o Sexlog se tornou uma comunidade em que é possível compartilhar e consumir conteúdo erótico amador, conhecer pessoas, descobrir novas maneiras de se relacionar e, o principal, exercitar seu poder de escolha. Para Mayumi, os últimos dez anos foram determinantes para que as pessoas passassem a ver o sexo de maneira mais leve. “Apesar de haver ainda uma grande parcela da sociedade bastante conservadora, algumas discussões passaram a ter foco e importância. O que antes era varrido para debaixo do tapete hoje é trazido à tona e não só pode, como deve ser falado. Temas como relações liberais, não monogamia, fetiches, gênero e sexualidade não tem porque ficarem jogados de lado”, finaliza Mayumi.

Abrindo portas para a diversidade

Entre os dados que chamam a atenção, um deles é  o crescimento expressivo de casais ela/ela (49,35%), seguido pelo aumento dos registros de casais ele/ele (33%). Já o número de transexuais também registrou uma alta de 20,5%, enquanto os cadastros de mulheres cis subiram 6,5%. “Nossa rede social se popularizou em meio ao público swinger que, durante muitos anos, foi majoritariamente heterossexual. Hoje, percebemos uma renovação no meio liberal, mais aberto à diversidade, a diferentes maneiras de encarar e viver esse estilo de vida”, finaliza Mayumi.

Sobre o Sexlog

O Sexlog.com é a maior rede social de sexo e swing do Brasil, com mais de 18 milhões de usuários cadastrados. São milhares de fotos e vídeos reais publicados por dia, todos com conteúdo amador. Trocas de mensagens, convites para encontros e divulgação de eventos também fazem parte da rede, que visa proporcionar prazer para pessoas solteiras e casadas que buscam novidades na cama.

Fonte: Esapiens Assessora de imprensa

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *