Domingo, Junho 23Portal Comunica News

Vladimir Putin tem mandado de prisão emitido por Tribunal Penal Internacional

O Tribunal Penal Internacional emitiu na sexta-feira um mandado de prisão para o presidente Vladimir V. Putin da Rússia por crimes de guerra.

O Tribunal Penal Internacional emitiu na sexta-feira um mandado de prisão para o presidente Vladimir V. Putin da Rússia por crimes de guerra, uma medida que autoridades ucranianas e grupos de direitos humanos saudaram como um passo importante para responsabilizar Moscou por abusos durante sua guerra de um ano. 

O tribunal emitiu o mandado poucos dias antes de Putin receber o principal líder da China, Xi Jinping, na Rússia. 

O mandado de prisão emitido nesta sexta-feira para o presidente Vladimir V. Putin da Rússia é por crimes de guerra, responsabilizando-o criminalmente pelo sequestro e deportação de crianças ucranianas desde a invasão da Rússia no ano passado. A probabilidade de um julgamento enquanto Putin permanecer no poder parece pequena, porque o tribunal não pode julgar réus à revelia e a Rússia disse que não entregará seus próprios funcionários.

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia rejeitou rapidamente os mandados, observando que não é parte do tribunal. O Kremlin negou as acusações de crimes de guerra, mas não escondeu as transferências de crianças ucranianas para a Rússia, descrevendo-as como adoções de crianças abandonadas e promovendo o programa como um esforço patriótico e humanitário. “Com esses mandados de prisão, o TPI fez de Putin um homem procurado e deu seu primeiro passo para acabar com a impunidade que encorajou os perpetradores na guerra da Rússia contra a Ucrânia por muito tempo”.

Maria Zakharova, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, disse que o anúncio “não tem significado para o nosso país, inclusive do ponto de vista jurídico”. “A Rússia não faz parte do Estatuto de Roma do Tribunal Penal Internacional e não tem nenhuma obrigação sob ele”, disse ela. “A Rússia não está cooperando com este órgão”, chamando qualquer esforço do TPI para tornar as prisões “legalmente nulas e sem efeito para nós”. Autoridades ucranianas disseram que a decisão de fato marcou a Rússia como um governo criminoso e tornou o mundo um lugar muito menor para Putin.

Uma investigação do New York Times publicada em outubro identificou várias crianças ucranianas levadas sob os esforços sistemáticos de reassentamento da Rússia. Eles descreveram um doloroso processo de coerção, engano e força e, ao chegarem à Rússia ou aos territórios ocupados pela Rússia, são frequentemente colocados em casas para se tornarem cidadãos russos e submetidos a esforços de reeducação. A Rússia defendeu as transferências por motivos humanitários. 

Na quinta-feira, uma comissão de inquérito das Nações Unidas disse que a transferência russa de crianças e outros civis da Ucrânia para a Rússia pode constituir um crime de guerra, observando que nenhum dos casos investigados foi justificado pelo direito internacional.

A Ucrânia relatou a transferência de 16.221 crianças para a Rússia, mas a comissão disse que não conseguiu verificar o número.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *